#22 Revolução Haitiana

e constitucionalismo 

No dia 14 de agosto de 1791,  sob a liderança Boukman, no bosque Caïman, em São Domingos a Revolução Haitiana, que mudaria os contornos da modernidade. Isso porque A Revolução Haitiana foi a segunda do continente e a primeira engendrada por pessoas negra, que venceram inúmeras batalhas contra França, Espanha e Inglaterra.

Foi um evento sem precedentes na modernidade, tanto é que antropólogo Troillot afirma que não existia conceituação nas gramáticas sociais da época para nomeá-las, motivo pelo qual foi concebida com um não evento.

O que a Revolução Haitiana fez foi demonstrar as fraturas do sistema colonial. Sendo assim, o historiador Marcos Morel chama a atenção para o fato de que, se por um lado a Revolução dos Estados Unidos da América demonstrou ser possível acabar com a dominação colonial dentro do Novo Mundo e a Revolução Francesa destruiu as estruturas feudais do Velho Mundo, por outro a Revolução Haitiana confrontou o colonialismo, abolindo a escravidão.

No que diz respeito ao constitucionalismo, se os Estados Unidos da América e a França inauguram um modelo legal pautado na pretensão de universalidade dos direitos de igualdade e de liberdade, foi o constitucionalismo haitiano que melhor lidou com a tensão constitutiva da modernidade, na medida que ela trouxe o outro, pessoa negra, encoberta e silenciada, para o centro das discussões e com isso expôs a fragilidade da pretensa universalidade moderna.

E para conversar conosco sobre esse tema contamos com o querido Marcos Queiroz, pesquisador do tema!

Então, é só apartar o play e saber mais!

Marcos Queiroz é mestre e doutorando em Direito pelo Programa de Pós-Graduação em Direito da Unb, Doutorando sanduiche na UNAL/COL. Professor do IDP.

Lattes: http://lattes.cnpq.br/5456262627620744

​​Quer saber mais? Então vai lá e aperte o Play!

Indicações feitas por Marcos Queiroz:

# Constitucionalismo brasileiro e o atlântico negro (livro do Professor Marcos Queiroz):

# Os jacobinos negros: Toussaint L'Ouverture e a revolução de São Domingos - C. R. L. James (livro);

#A Revolução do Haiti e o Brasil escravista: O que não deve ser dito - Marco Morel (livro);

Host: Deivide Ribeiro
Edição, mixagem e masterização: Deivide Ribeiro

Curta e siga o Mas e se?  em nossas redes sociais e ajude-nos a divulgar nosso trabalho:

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Grey Facebook Ícone
  • Instagram - Cinza Círculo
  • Twitter - círculo cinza
spotify-podcast-badge-blk-grn-660x1602.p
Spreaker.png