#16 O espetáculo do gênero

Neste episódio conversamos sobre o livro “O espetáculo do gênero: uma cruzada no século XXI” do Igor Viana, lançado no final de 2019. O livro assume a imagem do espetáculo teatral para criar uma narrativa sobre a disputa pelos quadros de inteligibilidade do gênero na virada do século XX para o século XXI. Dialogando com o aparato teórico de Judith Butler, o trabalho realiza uma reflexão sobre os efeitos do combate à “ideologia de gênero” para a constituição dos regimes de aparecimento público dos corpos. Assumindo que o gênero é constitutivo das lentes de inteligibilidade sociais do mundo moderno, atravessando e ordenando os seus processos de subjetivação, o argumento central do livro repousa na afirmação de que a disputa pelo gênero é, antes de tudo, uma disputa por projetos políticos de poder. Uma disputa de um espetáculo em aberto. 

 

Para Carla Rodrigues (Filosofia/UFRJ): “Quando o filósofo Giorgio Agamben pergunta o que significa ser contemporâneo, faz dessa questão o início de um inquietante debate sobre o 'nosso tempo' e sobre o que significa tentar compreender e refletir sobre o que se passa aqui, agora. É esse esforço de reflexão sobre o presente que nos traz o livro O Espetáculo do Gênero: uma cruzada no século XXI, de Igor Viana, uma combinação inteligente e rigorosa entre pesquisa acadêmica e ativismo. Sem se deixar cegar pela escuridão e sem pretender ser aquele que dirá a verdade sobre o tempo presente, o autor nos conduz a um percurso próprio, pessoal, autoral e ao mesmo tempo capaz de produzir conhecimento relevante nesse momento em que a pesquisa acadêmica está sob suspeita. O livro é, por tudo isso, uma leitura necessária para todos e todas aqueles que pretendem refletir sobre as disputas em torno do conceito de gênero que, como indica o autor, estão longe de chegar à cena final."  

Para Maria Fernanda Salcedo Repolês (Direito/UFMG): “O livro de Igor Viana é profético, não fosse sua clara reconstrução dos eventos históricos do surgimento da ideia de ideologia de gênero no mundo e no Brasil terem demonstrado todos os sinais da onda que eventualmente veio. A tese central do livro acerta ao redimensionar gênero não como uma temática endógena do feminismo ou dos estudos sobre sexualidade, mas como uma disputa geopolítica e cultural, da qual o próprio feminismo faz parte. Discutir gênero no contexto da escalada da extrema-direita deixa claro que esta é uma agenda estratégica para se debater e se disputar politicamente os sentidos do direito, da democracia, da liberdade e da igualdade.”

Então, vai lá e aperte o play!

Indicações relacionadas ao tema deste episódio:

# O espetáculo do gênero: uma cruzada no século XXI (Igor Viana);
# Corpos em aliança: notas para uma teoria performativa da assembleia (Judith Butler);
# Algumas palavras sobre Ideologia de gênero: rastros perdidos e pontos cegos (Sonia Corrêa);
# Retratos transnacionais e nacionais das cruzadas antigênero (Sonia Corrêa e Marco Aurélio Máximo Prado);
# Constitucionalismo por vir e democracia sem espera: contribuições para um diálogo entre a teoria crítica da constituição e a teoria performativa da política (Marcelo Cattoni);
# Afeto, Butler e os neoTFPistas (Berenice Bento);
# “Ideologia de gênero”: a gênese de uma categoria política reacionária – ou: a promoção dos direitos humanos se tornou uma “ameaça à família natural”? (Rogério Diniz Junqueira)
# Da “doutrinação marxista” à "ideologia de gênero" - Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro (Luis Felipe Miguel);
# Exorcizando um fantasma: os interesses por trás do combate à “ideologia de gênero” (Richard Miskolci);
# O discurso reacionário de defesa do projeto “Escola sem Partido”: analisando o caráter antipolítico e antidemocrático (Felipe de Araujo Penna);
# Norma de gênero e instituição escolar: um estudo psicossocial sobre as estratégias de enfrentamento à homofobia nas escolas das redes públicas de ensino da região; metropolitana de Belo Horizonte (Leonardo Tolentino);
# A Valsa Brasileira: do boom ao caos econômico (Laura Carvalho);
# Documentário Gênero sob Ataque (encurtador.com.br/fjCLT);

Igor Viana tece as linhas de sua existência entre o Direito e o Teatro. É doutorando em Direito na Linha História, Poder e Liberdade da Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre e graduado em Direito, realizou intercâmbio acadêmico na Universidade do Minho. Possui formação cênica pelos cursos livres de teatro do Galpão Cine Horto. Sua pesquisa se entrelaça com sua vida e perpassa os temas do corpo, da política e do direito através de uma perspectiva pós-estruturalista. O autor também coordena a Série Políticas da Performatividade, reunindo os livros: Conferências; Corpos e a Produção do Sensível; Levantes e a Biopolítica. 
Lattes: shorturl.at/cnyz1.

Quer saber mais sobre quem faz o Mas e se? ? Então confere lá! Siga o Deivide Ribeiro no twitter: https://twitter.com/deividejr e o Igor Viana no Instagram: https://www.instagram.com/viana__igor/

Curta e siga nossas redes sociais e ajude-nos a divulgar nosso trabalho:

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • Grey Facebook Ícone
  • Instagram - Cinza Círculo
  • Twitter - círculo cinza
spotify-podcast-badge-blk-grn-660x1602.p
Spreaker.png